by Hellder 'Lage' de Pinho
xiba-te
by Hellder Pinho, em 30.04.09 às 20:44link do post | favorito

Passaram pouco mais de 5 séculos desde que um Tuga natural de Cuba (Alentejo) ao comando de uma armada Castelhana atravessou o Atlântico até ás Índias Ocidentais e descobriu oficialmente (depois dos Templários de La Rochelle e do Açoriano Gaspar Corte Real) a América. Ao levarem a civilização para a América os colonizadores e os nativos fizeram um natural intercâmbio de doenças e da Ibéria para a América navegou o vírus da constipação e o da gripe (influenza).

O ovo de Colombo do meltdown civilizacional mutou o vírus que, á semelhança de outros, tem cada vez mais estirpes e torna-se cada vez mais resistente aos antibióticos. No passado recente a humanidade tremeu com o receio de uma pandemia de gripe das aves e neste momento teme-se novamente por uma porca pandemia da variante Mexicana do vírus. O aparecimento de novos casos de gripe Mexicana é exponencial o que leva a questionar se as medidas tomadas pelas diversas autoridades terão sido atempadas e se serão suficientes.

Num mundo onde já nada se cria e tudo se transforma, seria bom que as autoridades tomassem como exemplo estes casos de doenças de disseminação rápida e estabelecessem procedimentos globais de rápido rastreio e combate a estas situações. A actual grande e rápida mobilidade da população permite que uma pessoa possa atravessar meio mundo ainda no período de incubação de um vírus, o que torna um pacifico viajante numa letal arma biológica.


teias de aranha
Shelfari: Book reviews on your book blog
pesquisar
 
blogs SAPO