by Hellder 'Lage' de Pinho
xiba-te
by Hellder Pinho, em 27.06.10 às 20:04link do post | favorito

Portagens nas SCUTs

No género, uma coisa é certa: Vamos ter de pagar.

Na forma de pagar também: Em Euros.

Então vamos lá discutir a forma de contabilizar… mais proveitoso seria discutir a forma de não pagar, mas os políticos já estão TODOS de acordo e é para pagar, agora atiram-nos areia para os olhos com essa historieta dos registos.

Vamos fingir-nos de tontos e aceitar o logro, teremos outro remédio?

Ponto assente: Se quisermos andar pelas SCUTs vamos ter de colocar no automóvel um dispositivo electrónico de identificação (independentemente do nome que este tenha), no mercado já existe a Via Verde.

Se não o fizermos, pagaremos na mesma e com multa.

A lógica da batata: para haver cobrança tem de primeiro haver debito, para haver debito tem de haver descrição do serviço, para haver descrição do serviço, tem de haver registos de por onde andamos.

Habituemo-nos á devassa electrónica.

Na imagem, modelo que serviu de base á ideia do governo de registar por onde andamos: uma ficha dos bufos da PIDE. A partir de 1 de Julho:

Pagas e não bufas.

Portagens nas SCUTS vs Ficha da PIDE

 

Portagens nas SCUTs

No género, uma coisa é certa: Vamos ter de pagar.

Na forma de pagar também: Em Euros.

Então vamos lá discutir a forma de contabilizar… mais proveitoso seria discutir a forma de não pagar, mas os políticos já estão TODOS de acordo e é para pagar, agora atiram-nos areia para os olhos com essa historieta dos registos.

Vamos fingir-nos de tontos e aceitar o logro, teremos outro remédio?

Ponto assente: Se quisermos andar pelas SCUTs vamos ter de colocar no automóvel um dispositivo electrónico de identificação (independentemente do nome que este tenha), no mercado já existe a Via Verde.

Se não o fizermos, pagaremos na mesma e com multa.

A lógica da batata: para haver cobrança tem de primeiro haver debito, para haver debito tem de haver descrição do serviço, para haver descrição do serviço, tem de haver registos de por onde andamos.

Habituemo-nos á devassa electrónica.

Na imagem, modelo que serviu de base á ideia do governo de registar por onde andamos: uma ficha dos bufos da PIDE. A partir de 1 de Julho:

Pagas e não bufas.


xiba-te
by Hellder Pinho, em 23.06.10 às 21:30link do post | favorito

A noite de São João é uma festa tipicamente portuguesa e disso muito nos orgulhamos nós, esquecemos as agruras da vida, atiramos a crise para trás das costas e vamos para a rua festejar, a folia é rainha e o martelinho é rei, á beira da nossa festa o carnaval é uma brincadeira de crianças. Com a ajuda dos nossos vizinhos metemos mãos á obra e já temos tudo o que é preciso para festejar:

 

Vinho de Felgueiras da cuba do Dmitry

Sardinhas pescadas pelo Roman no mar da Galiza

Batatinha asterix do Franc de Lille

regados com um fio de Azeite de oliva

Pimentos da quinta do Pepito na Andaluzia

Broa de milho transgénico Americano

Alho-porro do quintal do Mustafa ali em Marrocos

e os multicolores Martelinhos made in China

Sardinhada de São João

Afinal o nosso bairro é uma pequena aldeia (global).



xiba-te
by Hellder Pinho, em 18.06.10 às 21:13link do post | favorito

Foi-se, hoje morreu Saramago, a que horas?, pouco importa, o que é que o levou?, não interessa, este Tuga que foi viver para o país vizinho (supostamente) por perrice foi o maior escritor do seu tempo, escusado será elogiar a sua escrita, incontornável é também a controvérsia que alguns dos seus textos geraram, notáveis foram os pontos de vista que expressou nos seus livros. A sua escrita de longas frases e enormes parágrafos pode até parecer ilegível, mas só mesmo os olhos dos mais retrógradas a poderão considerar complicada, a rica fluência das suas palavras faz corar de vergonha qualquer escritor pop, do fundo da sua máquina de escrever saíram ensaios que “metem no bolso” os mais elaborados livros escritos com recuso aos bits debitados ao ritmo do sublinhado vermelho do Word a detectar erros, se eu fosse o Saramago não tinha escrito o texto assim e antes desta ultima virgula ainda tinha tido o engenho e a arte (Camões, outro que tal) de ter chamado capitalista e narcisista a este processador de texto que mal escrevi o seu nome em minúscula o colocou logo em maiúscula. Uma última palavra aos seus camaradas, “foice” ficou o martelo…

 

Saramago 1922-2010

 

Escreve sempre seguido, desperta o Saramago que há em ti.


xiba-te
by Hellder Pinho, em 13.06.10 às 19:11link do post | favorito

– António de Pádua…

«Desculpasse a ignorância o meu bom padre Frei Bonifácio…», minha pedra no sapato, «… mas julgava ter ouvido ou lido algures que Frei António não era italiano.»

«Não era italiano?!...»

«A teologia e a prodigiosa erudição que tanto tinham assombrado as terras e nações por onde havia pregado aprendera-as ele em Santa Cruz de Coimbra…»

(…)

– O misticismo, alem de o ter de muito novo recebido de Deus, bebeu-o na orfandade prematura junto da sé de Lisboa e na meditação inspirada diante dos corpos mutilados dos santos mártires de Marrocos.

Atónito, Frei Bonifácio exclamou:

– Não me digais, meu querido Pantaleão, que Santo António é um santo português!...

– Sim, meu mestre – lhe disse eu sorrindo sem acinte –, Santo António de Pádua é Santo António de Lisboa.

in “A Casa do Pó” Fernando Campos

 

Santo António de Vale de Cambra

 

O dilema vai continuar ad eternum, mas para nós Santo António será sempre de Vale de Cambra.

 

– António de Pádua…

«Desculpasse a ignorância o meu bom padre Frei Bonifácio…», minha pedra no sapato, «… mas julgava ter ouvido ou lido algures que Frei António não era italiano.»

«Não era italiano?!...»

«A teologia e a prodigiosa erudição que tanto tinham assombrado as terras e nações por onde havia pregado aprendera-as ele em Santa Cruz de Coimbra…»

(…)

– O misticismo, alem de o ter de muito novo recebido de Deus, bebeu-o na orfandade prematura junto da sé de Lisboa e na meditação inspirada diante dos corpos mutilados dos santos mártires de Marrocos.

Atónito, Frei Bonifácio exclamou:

– Não me digais, meu querido Pantaleão, que Santo António é um santo português!...

– Sim, meu mestre – lhe disse eu sorrindo sem acinte –, Santo António de Pádua é Santo António de Lisboa.

in “A Casa do Pó” Fernando Campos

 

O dilema vai continuar ad eternum, mas para nós Santo António será sempre de Vale de Cambra.


xiba-te
by Hellder Pinho, em 10.06.10 às 19:59link do post | favorito

As Damas e os Varões aperaltados,

Que na Ocidental praia Lusitana,

Por bares nunca de antes visitados,

Passaram ainda além circulo urbano,

Em copos e garrafas levantados,

Mais do que permitia o fígado humano,

E entre gente improvável lançaram,

Novas modas, que tanto se elevaram,

 

E também memorias tristes,

Daqueles governantes que vão ditando

As leis, os impostos e as tormentas,

O nosso soldo andaram desbaratando,

E aqueles que por obras horrendas,

Vão a lei ludibriando,

Escrevendo espalharei por toda a parte,

Se tanto me ajudar o engenho e arte.

 

 

Nação Tuga

 

Hoje dia da nação Tuga, do seu grande poeta o zarolho Camões, e das autóctones comunidades dispersas pelo mundo fora (e mais além), é bom que olhemos (com dois olhinhos) para este nosso jardim á beira-mar plantado que está murcho e carregado de ervas daninhas.


xiba-te
by Hellder Pinho, em 08.06.10 às 20:19link do post | favorito

- Chama-me um Táxi...
- És um Táxi!

Taxi - Taksi


xiba-te
by Hellder Pinho, em 07.06.10 às 00:21link do post | favorito

Pela ausência de comentarios (ou criticas)

depreendo que "meteram a viola no saco".

 


xiba-te
by Hellder Pinho, em 06.06.10 às 00:12link do post | favorito

Camionistas cancelam greve de segunda-feira

(titulo do "Sol")

.  Que confusão... camionistas a fazer greve?
.  que sindicato a teria convocado...
.  seria mais transportadores camionistas...
.  ou então foram patrões camionistas!?

 

 

Para os leigos na matéria (e não só) eu explico:
Grande parte do tecido "industrial" dos transportes em Portugal é constituído por mini-micro-ultra-pequenas empresas, algumas (muitas) com um apenas um camião ou até menos (parece piada mas não é).
Em 2008 um grupo de camionistas liderado por um transitário (aspirante a transportador) fez greve, ou melhor a semântica usada foi paralisação (deles e dos outros) parar a circulação de mercadorias nos principais eixos viários do país era a ideia, fizerem bloqueios de estrada, perseguiram os que pretendiam continuar a trabalhar, vandalisaram propriedade alheia e muitas outras arruaças, infelizmente até ocorreu uma morte durante a contenda... tudo isto perante a impassividade das autoridades e com a conivência dos media que tarde demais se aperceberam da barbárie e de que estavam a dar a conotação errada à cobertura jornalística dos acontecimentos.
Dois anos volvidos e o grupo de camionistas encontra-se agora legalizado sob a forma jurídica de associação, fizeram um conjunto de reivindicações ao governo (algumas das quais legitimas) e ameaçaram voltar a gerar novo alvoroço. Tinham  marcado para o inicio desta semana marchas lentas, que não se viram, e para a próxima segunda-feira uma greve (paralisação), que agora cancelaram, com o pretexto de privilegiar o dialogo com o governo (como fazem as pessoas de bem).

Sendo que o que na realidade aconteceu foi que a direcção da associação iludiu-se e decidiu avançar para a greve (paralização) sem se acautelar se tinha verdadeiramente o apoio dos associados.


teias de aranha
Shelfari: Book reviews on your book blog
pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds