by Hellder 'Lage' de Pinho
xiba-te
by Hellder Pinho, em 31.08.10 às 21:35link do post | favorito

nota de 500 euros

 

Tem troco?

porque infelizmente o salário mínimo é minguo


xiba-te
by Hellder Pinho, em 29.08.10 às 21:30link do post | favorito

Elas com o seu terço ao pescoço, em ouro...

claro, porque de plástico como o CR7 é brega…

Eles com saias e aventais

a enfeitar os pseudo-bólides…

Ambos com brutais tatuagens já desbotadas e adornadas com rugas…

fizeram-nos companhia durante mais um verão.

 

“Estes” emigrantes não são só folclore, representam uma forma característica de cultura misturada, muito “enfeitada” e original que tende a desaparecer com as novas gerações.

Aos que voltam pelo Natal

tragam mais Moet & Chandon e chocolates (sem frutos secos),

o bacalhau cá vos espera.

Para os que só voltam no próximo verão…

ainda temos tempo.

Agora é tempo de regressar á labuta,

a todos

boa viagem!

 

Emigrantes

xiba-te
by Hellder Pinho, em 28.08.10 às 21:49link do post | favorito

não há fila no multibanco
não há fila na caixa do supermercado
não há fila no restaurante
não há fila na bomba de gasolina

(en)fim do mês!


xiba-te
by Hellder Pinho, em 16.08.10 às 21:32link do post | favorito

Se (hipoteticamente) o filme Contraluz fosse 100% português

seria assim:

 

Joaquim de Almeida viveria na Foz do Porto,

o seu carro seria um Mercedes,

o GPS funcionava com certeza…

O restaurante do pequeno-almoço teria um cachecol do FCP pendurado.

Os miúdos ladrões andariam de Civic,

e roubariam o carro e não o GPS

 

A miúda não poderia ser repreendida pela banalidade de usar telemóvel nas aulas,

assim esse móbil cairia por terra,

teríamos de ir buscar outro argumento mais rebuscado como por exemplo:

um terço e uma passagem por Fátima??!

O carro delas: Fiat Uno

 

O miúdo estaria internado no Sobral Cid

e mesmo com os portões escancarados não fugia

 

O “desocupado com guito” usaria um iPhone

e andaria numa pick-up xpto

 

O miúdo podia apanhar boleia num tractor

conduzido por um velho gordo, desdentado, e mal amanhado

a contar anedotas do tio alentejano…

 

A cena final seria algures nas paisagens fantásticas do vale do Zêzere,

e a Helena teria de ser trocada por uma

“Anatola Svanovska” emigrante ucraniana,

a actriz (Evelina Pereira) podia ser a mesma.


Evelina Pereira no papel de Helena, em Contraluz

 

 

 

 

 

 

 

Banda sonora? a mesma claro, “Tela” dos Santos e Pecadores.

Se (hipoteticamente) o filme Contraluz fosse 100% português seria assim:

 

Joaquim de Almeida viveria na Foz do Porto,

o seu carro seria um Mercedes,

o GPS funcionava com certeza…

O restaurante do pequeno-almoço teria um cachecol do FCP pendurado.

Os miúdos ladrões andariam de Civic,

e roubariam o carro e não o GPS

 

A miúda não poderia ser repreendida pela banalidade de usar telemóvel nas aulas,

assim esse móbil cairia por terra,

teríamos de ir buscar outro argumento mais rebuscado como por exemplo:

um terço e uma passagem por Fátima??!

O carro delas: Fiat Uno

 

O miúdo estaria internado no Sobral Cid

e mesmo com os portões escancarados não fugia

 

O “desocupado com guito” usaria um iPhone

e andaria numa pick-up xpto

 

O miúdo podia apanhar boleia num tractor

conduzido por um velho gordo, desdentado, e mal amanhado

a contar anedotas do tio alentejano…

 

A cena final seria algures nas paisagens fantásticas do vale do Zêzere,

e a Helena teria de ser trocada por uma “Anatola Svanovska” emigrante ucraniana.

 

Banda sonora? a mesma claro, “Tela” dos Santos e Pecadores


xiba-te
by Hellder Pinho, em 15.08.10 às 22:58link do post | favorito

Domingo 15 de Agosto é o dia em que todos os (e)migrantes gostariam de estar na sua Suíça Portuguesa, em Vale de Cambra a romaria à Nossa Senhora da Saúde da Serra acolhe milhares de forasteiros da Terra e arredores, até porque (a)parecem por lá alguns “extra-terrestres”.

São cada vez menos aqueles que optam por ir de véspera para a festa e pernoitar ao ar livre ou em tendas até porque o espaço extra atulhado e o buliço da noite não convidam ao repouso. Para os que optam por ir no dia e a pé a jornada começa invariavelmente cedo, pela fresquinha custa sempre (menos), pelo vale a estrada percorre-se ao ritmo fresco da madrugada, mas quando o dia desponta a íngreme subida á serra cruza-se com o cansaço, para uma caminhada como esta a opção natural é utilizar calçado confortável pelo que até é habitual vermos “peregrinas” a calcorrear a pedregosa ponta final do caminho em chinelos de quarto ou até mesmo montadas nuns vulgaríssimos esguios sapatos de tacão alto.

A tradicional festa fervilha de furor religioso com imensos fieis que atulham a pequena capela e pagam á Santa as suas promessas, mas a paganização da festa transforma o recinto numa desordenada e ruidosa feira onde se amontoam bancadas que vendem tudo e mais alguma coisa, tascas que confeccionam a toda a hora qualquer coisa grelhada com pó, carrosséis que poluem o ambiente com a sua constante cacofonia remixada com campainhas (audível até durante os serviços religiosos), e a tudo isto juntamos o constante vai e vem de romeiros errantes, uma enorme mole humana que anima e transforma em arraial o pacato "lugarejo" de Gestoso em São Pedro de Castelões.

06:55 a caminho da Sra. da Saúde, uma vista sobre o vale de Cambra, DESLUMBRANTE. 15 de Agosto de 2010, 06:55

a caminho da Sra. da Saúde, vista sobre o vale de Cambra, deslumbrante.

Domingo 15 de Agosto é o dia em que todos os (e)migrantes gostariam de estar na sua Suíça Portuguesa, em Vale de Cambra a romaria à Nossa Senhora da Saúde da Serra acolhe milhares de forasteiros da Terra e arredores, até porque (a)parecem por lá alguns “extra-terrestres”.

São cada vez menos aqueles que optam por ir de véspera para a festa e pernoitar ao ar livre ou em tendas até porque o espaço extra atulhado e o buliço da noite não convidam ao repouso. Para os que optam por ir no dia e a pé a jornada começa invariavelmente cedo, pela fresquinha custa sempre (menos), pelo vale a estrada percorre-se ao ritmo fresco da madrugada, mas quando o dia desponta a íngreme subida á serra cruza-se com o cansaço, para uma caminhada como esta a opção natural é utilizar calçado confortável pelo que até é habitual vermos “peregrinas” a calcorrear a pedregosa ponta final do caminho em chinelos de quarto ou até mesmo montadas nuns vulgaríssimos esguios sapatos de tacão alto.

A tradicional festa fervilha de furor religioso com imensos fieis que atulham a pequena capela e pagam á Santa as suas promessas, mas a paganização da festa transforma o recinto numa desordenada e ruidosa feira onde se amontoam bancadas que vendem tudo e mais alguma coisa, tascas que confeccionam a toda a hora qualquer coisa grelhada com pó, carrosséis que poluem o ambiente com a sua constante cacofonia remixada com campainhas (audível até durante os serviços religiosos), e a tudo isto juntamos o constante vai e vem de romeiros errantes, uma enorme mole humana que anima e transforma em arraial o pacato lugarejo de Gestoso em São Pedro de Castelões.

xiba-te
by Hellder Pinho, em 06.08.10 às 11:56link do post | favorito

Contraluz (Backlight) um filme que vale a pena ver...

BSO - Santos & Pecadores - Tela

 

tags: ,

xiba-te
by Hellder Pinho, em 05.08.10 às 13:18link do post | favorito

Não é um filme português, ou melhor, é mas não parece… e este mito só se pode desfazer depois de ver o filme.

 

Contraluz filme - Backlight movie

 

Contraluz (Backlight) é o relato de uma história carregada de coincidências com um enredo simples, suspense q.b. e um final capaz de arrancar lágrimas aos mais e aos menos suspeitos.


tags:

xiba-te
by Hellder Pinho, em 03.08.10 às 14:52link do post | favorito

 

insulto ao 31daarmada "a pedido"

 

num país ordinário como este, andam para aqui estes brugessos a dizer mal do puder instalado, vão para lá vocemecês governar, não deve ser pior do que dar o corpo ao manifesto e todos os dias ter a alcoviteira tarefa de debitar posts a dizer mal sem ter opinião formada... cegetas como vós andam sempre à procura do inimigo quando dormem com ele todos os dias, vão trabalhar malandros,... que eu estou de férias... :) alem-terra.blogs.sapo.pt
tags:

xiba-te
by Hellder Pinho, em 02.08.10 às 12:05link do post | favorito

Manuela Moura Guedes, Jornal de Sexta

Alguém (e todos temos uma “filosofia” coincidente de quem foi) mexeu os cordelinhos e em véspera de eleições censurou (a palavra está adequada porque “desconfiamos” do poder politico) o incomodo Jornal de Sexta da TVI na pessoa do seu pivot.

A novela (Freeport) ainda não acabou.

 


teias de aranha
Shelfari: Book reviews on your book blog
pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds