by Hellder 'Lage' de Pinho
xiba-te
by Hellder Pinho, em 24.04.12 às 21:50link do post | favorito

Neste longo rescaldo da revolução do 25 de Abril, há ainda questões que os livros da escola não me esclareceram, que os professores não souberam explicar, e que ainda hoje não constam dos manuais de Historia dos meus filhos, que há pergunta se sabiam o que foi o 25 de Abril pouco mais souberam dizer além de: «foi a Revolução dos Cravos», e que devia ter alguma coisa a ver com a musica porque foi disso que lhes falaram, … pois claro!, uma Rave ou um festival de primavera em 1974, onde apareceram uns quantos militares de chaimite e de armas adornadas com cravos vermelhos, vai daí depuseram a ditadura fascista, que era anti-cultural não deixava passar na rádio a musica que a malta queria ouvir, e que revia os textos dos jornais para que ficassem a gosto dos mandantes do regime. Aí está!, tivemos aqui em Portugal uma revolução romântica.

Ao longo dos tempos tenho vindo a prestar atenção ao tema para ver se alguma coisa me escapou, isto porque, não é a revolução que me preocupa, mas sim o após revolução e as suas consequências. No fim da “festa” foi preciso arrumar a casa, mandar vir os soldados que lutavam nas colónias, e iniciar a descolonização (que tinha de ser feita), mas tendo em conta todas as agruras por que passaram as ex-colónias nestes anos…, fizemos um trabalho muito mal feito. As nossas “lides domésticas” também foram desastrosas: nacionalizações, e reforma agrária, as industrias eram lucrativas, as searas cultivadas, mas depois deixaram de o ser!..., claro que havia a questão do proletariado, e outras… mas não haveria outras formas de o fazer sem arruinar tudo?!

 

As ruínas do 25 de Abril

 

Talvez daqui a umas décadas este assunto seja dignamente aflorado, quando já não estivermos debaixo da “censura” da ideologia instalada no pós-revolução.


xiba-te
by Hellder Pinho, em 25.04.11 às 11:51link do post | favorito

Liberdade não significa poder fazer tudo o que nos der na «real gana».

 

Cravados á Liverdade os Cravos deste 25 de Abril

 

A liberdade conquistada no 25 de Abril de 1974

deu lugar em alguns sectores políticos a uma libertinagem doentia

e transformou a máquina do estado num enorme monstro

que arrasta a economia do nosso país para o precipício,

estamos agora CRAVADOS ao bicho papão do imperial FMI

que há-de DITAR o nosso destino

que nós livremente aceitaremos... submissamente.

 


xiba-te
by Hellder Pinho, em 25.04.10 às 17:22link do post | favorito

0 discurso do PR (hoje) nas comemorações do 25 de Abril foi severamente critico á revolução e ás politicas ditas de esquerda que se lhe seguiram, se não vejam-se as referencias e leiam-se nas entrelinhas:

Mar, quis este também recordar que antes da revolução a nação era uma potência da construção naval com grandes e possantes estaleiros, que agora desapareceram completamente, e as pescas, Oh! meu Deus, melhor é nem sequer falar…

Riqueza Imerecida, um dos maiores objectivos da revolução seria terminar com as desigualdades sociais e criar mais justiça social, ora o que se vê hoje em dia é um crescendo de casos em que os prémios atributos a gestores de empresas com participação do estado (e até em situação de ou quase de monopólio), são desavergonhadamente casos de jackpot euromilionario sem talão nem ter de acertar nos números, e sem mérito.

O Grande Porto e Norte, todos sabemos que o norte assistiu impávido e quase sereno á revolução sulista, e é inquestionável a força de vontade determinação e trabalho destas gentes do norte, o Porto é inquestionavelmente a capital económica do país e o norte o grande motor produtivo e económico, no Marquês de Pombal em Lisboa foi emitida mais uma factura para o Norte pagar a partir de 1 de Julho (“a ber bamos!?”). E tudo isto e sem qualquer divagação futebolística do género club do sistema (regime).

 

Falta á classe política a vontade para atirar com os preconceitos para trás das costas, arregaçar as mangas por as mãos na “merda” e trabalhar para erguer a economia desta nossa pátria, se for preciso impressionar uns quantos e mostrar irreverência que se mude até de novo o nome da ponte para Salazar.


xiba-te
by Hellder Pinho, em 25.04.09 às 16:16link do post | favorito

Sou Livre

Não conheço censura

Sou Emancipado

Não sei o que significa opressão

Sou Isento

Quase sempre

Sou Independente

Sempre!


xiba-te
by Hellder Pinho, em 24.04.09 às 13:52link do post | favorito

cravo

Pelos campos de Portugal colhem-se hoje os cravos que amanhã vão embelezar as lapelas dos entusiastas do 25 de Abril.

Consequência da reforma agrária e de outras más decisões tive de refazer a frase:

Nas estufas da Holanda foram colhidos na 2ª-feira os cravos que amanhã vão enfeitar as campas dos que tombaram na guerra colonial.

 

tags:

teias de aranha
Shelfari: Book reviews on your book blog
pesquisar
 
blogs SAPO