by Hellder 'Lage' de Pinho
xiba-te
by Hellder Pinho, em 19.08.16 às 20:24link do post | favorito

Verão Quente Verão 01 - Praia do Areal - Lourinh

 Praia do Areal - Lourinhã

 

Verão Quente Verão 02 - Praia do Areal - Lourinh

Praia do Areal - Lourinhã

 

Verão Quente Verão 03 - Praia de SuperTubos - Pe

Praia de SuperTubos - Peniche

 

Verão Quente Verão 04 - Praia de SuperTubos - Pe

Praia de SuperTubos - Peniche

 

Verão Quente Verão 05 - Praia da Areia Branca -

Praia da Areia Branca - Lourinhã

 

tags: ,

xiba-te
by Hellder Pinho, em 31.08.15 às 23:22link do post | favorito

Há muito que as férias terminaram para a grande maioria, em ano de eleições não se fala de crise e assim foi, marias e maneis rumaram aos locais turísticos de nomeada, bolsos mais ou menos recheados com uns trocos, e se hoje neste bar se bebeu uma Pedras ao preço de um pack no supermercado, amanhã se poupará fazendo um arrozito de atum para quatro, que sempre é peixe, que é o que fica bem dizer que se comeu quando se anda pela costa litoral, vêm-se as vistas, disserta-se secretamente acerca da proporcionalidade inversa entre o preço dos biquínis e o tamanho do bronzeado que provocam, tosta-se a pele coisa que ainda é à borla, dá-se um mergulho no mar, encontra-se o primo emigrante na França e para discutir a teoria à volta do migrante que agora deixou ou não cair o “i”, ou o “e” ou…, volta-se para a esplanada para mais uma rodada de Super-Bock e tremoços, que isso dos camarones e caracoles é cousa para turista estrangeiro e rico, e isto anda pejado deles carago! Eles chegam alguns a pé pelos caminhos de Santiago, outros pelas estradas das maneiras mais exóticas: desde a tradicional Pão de Forma, à mais moderna Autocaravana, passando por sucatas ambulantes que parecem ter saído dos saldos de um qualquer exército há muito extinto, tudo serve, e vão todos direitinhos à nossa costa, ver o mar, de onde chegam os navios de cruzeiro, autênticas babilónias ambulantes, que brotam gentios desejosos de nos conhecer e gozar da nossa hospitalidade, de máquina fotográfica na mão e sempre de olhar posto no céu para ver este sol maravilhoso que nos abraça, e onde se avistam essas grandes aves surgidas do horizonte, são os chárteres a descer à terra, tal como profetizou um inspiradíssimo iluminado, são paletes deles que vêm para cá gastar o guito. Nas principais cidades a máquina está montada e pronta a recebê-los de braços abertos, venham e voltem sempre, que enquanto por cá andarem dão trabalho a muita gente, estes são os dias das férias dos outros, numa azafama completa e com o país a banhos eles trabalham para que outros desfrutem, são os heróis na sombra, queimados por um sol que sem escolha os beija de manhã à noite, cansados da noite que só termina já o dia vai alto, são parte de uma grande engrenagem que trabalha na surdina desde a produção, passando pela distribuição e garante que quando o cliente sentir sede lhe possa ser servida a melhor seiva que do Caramulo brota, e que sempre que este se queira aliviar nunca lhe falte a água del cano. Verão (aqueles que quiserem) que neste entretanto o país não parou, houveram muitos a trabalhar para isso, foram tantas vezes heróis na sombra. Já agora, a economia agradece?!

Verão - Praia de SuperTubos - Peniche

 


xiba-te
by Hellder Pinho, em 25.07.15 às 15:46link do post | favorito

Carpe Diem - Alguns querem agarrar o mundo com uma

 Alguns querem agarrar o mundo com uma só mão, outros... nem sequer tentam.


xiba-te
by Hellder Pinho, em 20.09.14 às 20:20link do post | favorito

 

 #byebyesummer

 

tags: ,

xiba-te
by Hellder Pinho, em 18.08.14 às 22:14link do post | favorito

As lições da historia deveriam servir para alguma coisa, mas não, (vá lá) pelo menos abrir os olhos e mostrar (por exemplo) aos governantes e seus séquitos as doenças de que vai padecendo o poder, mas não, apesar do imenso conhecimento de que dispomos dos erros das civilizações passadas, poderíamos ter sido ao longo do tempo mais perspicazes, mas não, vamos sucessivamente tropeçando (e caindo) nos mesmos erros, devíamos ter (pelo menos) um sentido critico (de responsabilidade) mais apurado, mas não, NÓS civilização (dita civilizada) adoptamos (sempre) a posição mais cómoda, diríamos (na forma politicamente correcta), mais diplomática, o que até seria verdade, mas não, deixamos sempre que cresçam por aqui e por acolá umas quantas democracias de idoneidade duvidosa, ou uns insuspeitos governos com interesses suspeitos, podíamos sempre tentar fazer qualquer coisita para os travar, mas não, (até porque) esbarramos sempre na eterna questão, sempre (in)comoda: dos vizinhos, das pedras e dos telhados de vidro... ah pois!, e as carradas de cinismos e todas as falsidades inventadas para encobrir os eternos interesses económicos.

 

No Jardim dos Monstros - Erik Larson

No Jardim Dos Monstros - Erik Larson


xiba-te
by Hellder Pinho, em 10.08.14 às 20:55link do post | favorito

Quantas coisas nos escapam no dia a dia, um recorte ali, um spot acolá, aqueloutra noticia, factos isolados, quantas vezes sem nexo, elementos da mesma teia tão habilmente urdida, que mantém o mundo no estado em que o conhecemos, sempre tão cheio de conflitos, sempre tão repleto de intrigas, sempre com a estabilidade na corda bamba, e o perigo a espreitar em cada esquina, e é terrível pensar ate que ponto, de um momento para outro podermos estar a passar da ficção à realidade sem que disso nos demos conta, o lançamento de uma inocente pedra que despoleta uma intifada há muito urdida, congeminada pelos (in)suspeitos do costume.

 

O Anjo Caído - Daniel Silva

O Anjo Caído - Daniel Silva

 


xiba-te
by Hellder Pinho, em 21.09.12 às 21:01link do post | favorito
LUA

Mais um dia que acaba
e a cidade parece dormir,
da janela vejo a luz que bate no chão
e penso em te possuir.
Noite após noite, há já muito tempo,
saio sem saber para onde vou,
chamo por ti, na sombra das ruas,
mas só a lua sabe quem eu sou.
Lua, Lua,
eu quero ver o teu brilhar,
Lua, Lua, Lua,
Eu quero ver o teu sorrir.

Leva-me contigo,
mostra-me onde estás,
é que o pior castigo
é viver assim, sem luz nem paz,
sozinho com o peso do caminho
que se fez para trás...
Lua, eu quero ver o teu brilhar,
no luar, no luar.

Homens de chapéu e cigarros compridos
vagueiam pelas ruas com olhares cheios de nada,
mulheres meio despidas encostadas à parede
fazem-me sinais que finjo não entender.
Loucas são as noites, que passo sem dormir,
loucas são as noites.
Os bares estão fechados já não há onde beber,
este silencio escuro não me deixa adormecer.
Loucas são as noites.

Não há saudade sem regresso, não há noites sem
madrugada,
Ouço ao longe as guitarras, nas quais vou partir,
na névoa construo a minha estrada.

Loucas são as noites, que passo sem dormir,
loucas são as noites...
                      ...::: .by. Pedro Abrunhosa :::...
 
Lua - Loucas são as noites - São Martinho da Gandara

xiba-te
by Hellder Pinho, em 15.09.12 às 19:05link do post | favorito

«A Terra ri nas flores.»

Ralph Waldo Emerson

 

«A Terra ri nas flores.»  Ralph Waldo Emerson


xiba-te
by Hellder Pinho, em 09.09.12 às 00:10link do post | favorito

Festas do Mar 2012 - Furadouro

 

Festas do Mar 2012 - Furadouro
    
Festas do Mar 2012 - Furadouro
     

 Fogo de artificio - Festas do Mar - Furadouro (2012)


xiba-te
by Hellder Pinho, em 03.09.12 às 21:27link do post | favorito

Adeus amigo Reguila!

Adeus amigo Banheiro!

A saúde vai na mesma,

A bolsa vai sem dinheiro!

 

Assim dizia a avó Emília, e era o fim das férias…


e verão que até ao fim será Verão, praia do Furadouro, 1 de Setembro de 2012

Praia do Furadouro, 01.09.2012

tags:

xiba-te
by Hellder Pinho, em 28.08.12 às 07:04link do post | favorito

A praia é sempre um bom local para tirar fotografias, a areia, o mar, (os biquínis) e um sempre belo pôr-do-sol fazem o enquadramento ideal para um retrato bem tirado, com a evolução para o digital a foto democratizou-se, e click atrás de click tiram-se "canastras" de gigas de" jpegues" que tantas vezes nem sequer chegam a sair do cartão. Daquelas que não se perderam as mais giras vão para wallpaper, outras viram filme, e poucas, as mais sortudas, cumprem a sua nobre função e são impressas. Passado o ritual de, pelas festas de Natal, recordar com a família e amigos os dias quentes, as que sobrevivem vão parar ao álbum, aquela caixa ou fundo de gaveta (tipo) tudo a monte, de onde só irão sair daqui a muito tempo amarelecidas, queimadas, estragadas, mas sempre: para mais tarde recordar.

 Um Retrato: Para Mais Tarde Recordar - Furadouro

«ai mamã távas tão gira!»

este comentário vai demorar pelo menos alguns anitos a chegar, e já agora ainda vais a tempo de prevenir este:

«olha… pelo menos podias ter escrito a data e o local!»

tags: ,

xiba-te
by Hellder Pinho, em 22.08.12 às 07:15link do post | favorito

O nosso cérebro funciona assim, por vezes basta algo simples para que despertem em nós as mais fantásticas recordações, e um verão perfeito requer momentos… inesquecíveis.


Super-Bock, Super-Verão!


Super-Bock, Super-Verão!

tags:

xiba-te
by Hellder Pinho, em 16.08.12 às 07:11link do post | favorito

Na praia é assim reina a democracia, são as Francesas com os seus enormes biquínis, as Alemãs a querem ver-se livres deles, e as Portuguesas que aderiram em massa à moda das Italianas e preferem os cavados, sempre enfiados, na linha que separa tudo isto encontramos alguns machos que continuam a preferir as esplanadas e as minis deixando assim a areia menos poluída, entretanto os miúdos continuam a divertir-se com o que mais interessa na praia: areia, sol e mar...

Agora resta besuntar as curvas com o creme de cenoura, espetar com os phones nos ouvidos dedilhar pelo iPod à procura do ultimo êxito do Tony Carreira, e esperar que passe um garoto qualquer mais atrevido e que nos deixe salpicados de areia qual panado acabadinho de fritar, o pretexto perfeito para (des)armar barraca e ir dar um bom mergulho, isto é ir molhar os pés, que mesmo com bandeira verde por aqui a água é fresquíssima e as ondas metem medo.

De volta à toalha é tempo de mordiscar uma maçã (qual macintosh qual quê: starking espanhola e ainda com a etiqueta, para dar mais style), até parecia mal trazer uns croquetes para a praia, mas até já ia...

Não há areal que se preze onde não apareçam os vendedores ambulantes, um marroquino carregado de produtos das melhores e mais caras marcas de renome, e como sempre cheio de faro para o negócio aborda um casal de Francius que a falar um português impec dizem que aquilo não lhes serve: «ando de Panamera num bou comprar disso» diz ele, «e o original Versace é verde e castanho queu bi em paris» queixa-se ela enchendo o peito de ar para realçar a caixa torácica, mais à frente o magrebino lamenta não ter os tais iPhone de 150 paus mas «ficaru retidos em Valência…», e há propostas para todos os gostos: «Bolacha Americana, a língua da Sogra... Ai Sogrinha!» apregoa um, «chora que a mãe dá» grita o das pipocas, por aqui só faltam (tipo) as bolas de Berlim, mas não fazem falta, não estivesse-mos nós numa praia do “noarte” e isso é coisa de alfacinhas que gostam de (tipo) se intoxicar…, o desfile continua, passa uma cigana carregada de cabides e larga mais um piropo: «ó jeitoza! querez'um bestido?», nisto o marroquino volta à carga e consegue sacar aos esquisitos 60 broas, uns óculos de sol para ele e uma mala para ela, afinal "as cores até cumbinam bem". Na debandada a alemã ainda fica à espera do pôr-do-sol e diverte-se na sua arte burlesca de esconder pouco aquilo que parece desejosa por mostrar, a esquisita chique trocou o saco preto do PingoDoce pela Versace, e o esquisito ainda não conseguiu pôr o Renault 19 a trabalhar, deve ter vindo com o carro do jardineiro e deixou o Porsche na garagem, só para disfarçar... Claro!

Na praia é assim reina a democracia.

Praia de Aver-o-Mar, Povoa de Varzim 

Praia de Aver-o-Mar, Povoa de Varzim


xiba-te
by Hellder Pinho, em 10.08.12 às 22:42link do post | favorito

A Feira Medieval de Sta Maria da Feira passou a Viagem Medieval, e ao longo dos anos tem vindo a crescer exponencialmente, a máquina económica que domina o evento rola em contraciclo com a economia, são milhares e milhares de pessoas que lá acorrem todos os dias e alegremente esperam nas longas filas e abrem os cordões à bolsa em qualquer canto e esquina, seja para ver mais um espectáculo, comprar uma qualquer bugiganga, ou comer uma amostra de sandes de porco no espeto regada com sangria, e já agora se não quiser esperar na fila para devolver a caneca e receber o valor do deposito pode sempre levá-la para casa (já pagou!), espero é que todo aquele comércio seja contabilizado à moda do século xxi e não passe pela porta do cavalo.


Viagem Medieval - Sta Maria da Feira 2012


Viagem Medieval - Sta Maria da Feira 2012


Viagem Medieval - Sta Maria da Feira 2012


Viagem Medieval - Sta Maria da Feira 2012

Luta junto ao Castelo, este espectáculo ainda foi à “borliu”


xiba-te
by Hellder Pinho, em 04.08.12 às 23:59link do post | favorito

Alexander von Humbolt II - Bremerhaven - Alemanha @ Sea Festival - Ilhavo PT

Alexander von Humbolt II - Bremerhaven - Alemanha

 

Creoula + Santa Maria Manuela - Aveiro - Portugal @ Sea Festival - Ilhavo PT

Creoula + Santa Maria Manuela - Aveiro - Portugal

 

Guayas - Quito - Equador @ Sea Festival - Ilhavo PT

Guayas - Quito - Equador

 

MIR - St Petersburg - Russia @ Sea Festival - Ilhavo PT

MIR - St Petersburg - Russia

 

Pelican of London - Weymouth - Reino Unido @ Sea Festival - Ilhavo PT

Pelican of London - Weymouth - Reino Unido

 

04.08.2012 @ Sea Festival - Ilhavo PT

tags: ,

xiba-te
by Hellder Pinho, em 29.07.12 às 20:22link do post | favorito

Vivemos rodeados de sabichões superdotados, doutorados pela universal sabedoria popular, donos e senhores de uma inigualável inteligência multifacetada que abrange todo e qualquer tema que se aflore, quais wikipedias ambulantes estão sempre prontos para ter a melhor opinião, e na perspetiva deles a única possível e válida, argumentam do átomo à molécula, com a mesma facilidade que driblam entre o futebol e a politica, para eles a vida não tem segredos quer se trate de saber a melhor forma de cultivar o feijão ou a melhor lua para procriar, no lugar dos outros fariam sempre diferente já que a seu primoroso raciocínio superior assim o dita, senhores absolutos da melhor e mais acertada escolha, pena que não se olhem no espelho estes génios incompreendidos da economia das misérias humanas, que em ambos os estados de pobreza se equivalem.

Idiotas chapados, dotados duma trela imparável, só igualável ao seu sempre apurado ponto de vista, debitam pareceres (e outras quantas barbaridades) a uma velocidade tal que faria corar qualquer relatador de futebol profissional, sempre prontos a ombrear o seu patuá com a retórica do barbeiro mais afoito, o seu discurso faz a homilia do padre pregador parecer uma história de embalar.

 

Conversa para boi dormir

Donos de um cérebro constantemente ébrio, mesmo a “seco”, estão sempre prontos a cuspir a “melhor” opinião, se falamos de motas: «As 125 são um espetáculo aquilo é uma proeza e só andei numa uma vez as japonesas são boas mas as americanas são melhores», o tema muda para feijões: «que tem de ser plantados quando a terra estiver mais coisa… e cozidos na sopa são uma maravilha», e pneus: «para a chuva tens de usar daqueles dos rasgos…, mas agora de verão… há carradas deles na praia», e as hérnias: «são buracos onde se enfia uma tripa e com o esforço aquilo e uma dor do carago!»


xiba-te
by Hellder Pinho, em 11.07.12 às 04:44link do post | favorito

Não são só os mais velhos que ainda não sabem distinguir as cores dos ecopontos, e para muitos “daltónicos” estes ainda não passam de meros caldeiros do lixo, “só” para recordar: azul = papel, amarelo = plástico, verde = vidro, ora como eu estou na praia e sobrou-me uma casca de banana, escorreguei na questão: onde está o balde preto para o lixo comum?, para não ficar mal levo-a para casa, tal como a senhora do lado fez com os ossos do churrasco (o bóbi agradece), e esquecendo o conselho que a velhota da frente deu ao miúdo:

«Botó saco num caisquer qué tudo caldeiros pró lixo!».

  Os ecopontos são daltónicos

Os recipientes para o lixo comum estavam mais à frente,

passei por eles quando entrei no areal.


xiba-te
by Hellder Pinho, em 11.09.11 às 21:53link do post | favorito
Fogo de artificio - Festas do Mar - Furadouro (2011)
http://c3.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/B34070de3/9109327_bfwHl.jpeg
Fogo de artificio - Festas do Mar - Furadouro (2011)
  Fogo de artificio - Festas do Mar - Furadouro (2011)

 Fogo de artificio - Festas do Mar - Furadouro (2011)


teias de aranha
Shelfari: Book reviews on your book blog
pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds